terça-feira, março 15, 2005

FLAK - Flak

Image hosted by Photobucket.com

Enquanto destacava o aniversário dos RÁDIO MACAU e traçava a discografia / genealogia dos RAIN PARADE no Fórum Sons apeteceu-me recordar o álbum de 1998 de FLAK, uma jóia neo-psicadélica de guitarras eléctricas e acústicas, violinos, orgão e um ramalhete caleidoscópico de achados sonoros. As melodias e o volume das guitarras combinam perfeitamente na pop luminosa de Sei Onde Me Vou Perder, A Dama do Lago e O Imenso Adeus enquanto em Antonov (com as suas referências narcóticas, muito 60s) e O Relógio Parado os arranjos acústicos conferem um toque pastoral. O atmosférico De Azul em Azul, um prodígio de simplicidade com a voz dolente da XANA tentando contrariar o fluxo inexorável da batida, aponta caminhos já sugeridos em Marca Amarela e mais tarde consolidados em Onde o Tempo Faz a Curva. É o único tema que não é cantado voz de FLAK mostra algumas limitações mas até essa fragilidade acaba por se dar bem com o carácter singelo do disco. Um álbum esquecido e que merecia melhor sorte.

2 Comments:

Blogger inominável said...

Lembro-me de ter visto a apresentação do albúm ao vivo num daqueles concertos no palco 6 da expo. Era um daqueles albúns que estava sempre na minha lista de compras, mas que nunca comprei. Talvez, agora, que me fizeste lembrar dele, seja uma boa altura para isso. E até deve estar a um preço simpático. :)

11:13 da tarde  
Blogger Familycat said...

Espero que não tenha desaparecido de circulação. "Sei Onde Me Vou Perder" ainda entrou na banda sonora de uma série 'teen' da TV mas nem isso o salvou de ser um falhanço comercial... Um paradoxo num álbum tão apelativo.

11:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home