sexta-feira, abril 08, 2005

50 FOOT WAVE - Golden Ocean

Image hosted by Photobucket.com

Kristin Hersh tem perfil de ‘Stepford wife’: é mãe-galinha de quarto petizes (um mais marmanjo que petiz…), esposa abnegada e fada do lar esmerada, sempre pronta para cuidar da casa com uma benevolência angélica. Também aprecia sentar-se com toda a família em frente à televisão para ver o sitcom da moda e até tem um cão que passeia pelo parque aos Domingos de manhã. Viver a vida desta forma insana e permanentemente à beira do abismo paga-se muito caro. Quando os amigos Bernard Georges (baixo) e Rob Ahlers (bateria) visitam a família a ocasião é geralmente celebrada com o jack no amplificador vomitando decibéis enquanto Hersh vocifera alienação doméstica e niilismo feminista com o vozeirão de quem saboreia uma taçada de sopas de cascalho com aguardente ao pequeno-almoço. Uma questão de sanidade mental. A música dos 50 FOOT WAVE combina o volume sónico do hardcore e a precisão e geometria oblíqua do math rock deixando a melodia espreitar por entre a estridência como o sol por entre as nuvens num dia de chuva. Num álbum que ameaça derreter os ouvidos de quem o ouve, dizer que talvez o conceito se concretize melhor no EP de 6 temas do ano passado (3 dos quais estão também aqui) interessa tanto como escolher entre ser violentamente atropelado por uma carrinha de caixa aberta ou por um furgão. Melhor álbum rock do ano, até agora, pelo melhor power-trio desde os SUGAR de Bob Mould. E imperdível no próximo dia 25 de Maio no Café-Teatro Santiago Alquimista, em Lisboa.

5 Comments:

Blogger João GM said...

Eu, no dia 25 estou lá com toda a certeza, para ser atropelado pelo furgão e pelo camião :D

Parabéns pelo blog, Cláudio. Já se tormou ponto de passagem obrigatório por aqui.

8:40 da manhã  
Blogger Familycat said...

Obrigado, João :D

Não vais ser atropelado sozinho porque nós também vamos estar no meio da estrada dia 25.

Um abraço

5:21 da tarde  
Anonymous doodoobopbop said...

Tive oportunidade de os ver em Setembro passado no londrino Garage.Escapei ao atropelamento mas não evitei ter sido esmagado contra uma parede.A melhor Kristin Hirsch, ever.Pelo sim pelo não, já estou a ir andando para o Alquimista.

12:23 da manhã  
Blogger Familycat said...

Só vi Kristin Hersh em formato acústico, em Barcelona. Por isso estou ansioso pelo concerto de Lisboa.

2:02 da tarde  
Anonymous doodoobopbop said...

Com a pressa germanizei o apelido da divina mãe-galinha.Pelo precalço peço as minhas desculpas.Tenho a certeza que ninguém se vai arrepender de a enfrentar no Alquimista e. . .entre mortos e feridos alguém há-de recordar para sempre a noite de 25 maio

9:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home