quinta-feira, abril 21, 2005

T. REX - Electric Warrior

Image hosted by Photobucket.com

As leituras recentes sobre MARC BOLAN levaram-me a recuperar Electric Warrior (1971) e The Slider (1972), dos T. REX, rosários lânguidos de rock/pop tributário do blues e boogie ao qual a guitarra de Bolan empresta grooves sensuais por onde vagueiam a sua voz andrógina e orquestrações mais ou menos discretas que acentuam o aveludado sónico. Entre 1971 e 1972, TRextasy foi sinónimo de histeria de massas e Bolan permaneceu como figura tutelar sobre o que de mais estimulante se fez entre as gerações seguintes: a música era simples (e fácil de reproduzir para os aprendizes punk), representava um triunfo da pop e das canções em pleno reinado do excesso progressivo e o carisma de Bolan apaixonou Siouxsie Sioux, Captain Sensible, Morrissey e muitos outros. O legado dos T. REX chegou também à década de 1980 por intermédio de gente tão distinta como os BAUHAUS (quem esqueçe a versão óssea de Telegram Sam?), os POWER STATION de Nick–DURAN DURAN–Rhodes (que tiveram um êxito menor com Get it On) ou os excelentes BONGOS (cujo primeiro álbum tem uma versão de Mambo Sun). Entre Electric Warrior e The Slider escolho o primeiro, irrepreensível com clássicos como Mambo Sun, Cosmic Dancer, Jeepster, Life's a Gas e o fabuloso final de Rip Off. Mas não deixem de ouvir os dois.

1 Comments:

Blogger Z said...

Dear blogger
i can not understand to read your entry, but i'd just like to strongly agree about those albums!

The song Lean Woman blues har the zestiest, toughest and tightest guitar sound i've ever heard in my life :)

1:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home