segunda-feira, maio 16, 2005

Fernando Magalhães faleceu ontem com 49 anos de idade. Hoje é um dia triste e não me apetece escrever muito. O Fernando entrou na minha vida através da divulgação entusiástica de música no jornal O Público e, sobretudo, pela sua participação delirante e extraordinariamente bem-humorada no Fórum Sons desde finais dos anos 1990. Trocámos muitas mensagens apesar de nunca nos termos encontrado pessoalmente. Eu começava a recuperar algum do entusiasmo perdido pelo pop-rock através do alt-country e dos derivados do rock independente e alternativo do década de 1980 quando o Fernando pulverizou os meus preconceitos musicais e alargou dramaticamente o horizonte de interesses ao chamar a atenção para a imensa riqueza da década de 1970 (rock progressivo, krautrock, etc.), para a música folk, para a música popular portuguesa e para os projectos de electrónica mais vanguardistas dos anos 1990. Como consequência reacendeu a minha paixão pela música e por todas as coisas ‘diferentes’. O Fernando entusiasmava-se e entusiasmava-nos. Não se levava muito a sério – outra grande lição que aprendi com ele. E fazia-nos rir. Rir como nunca me lembro de ter rido a olhar para o monitor de computador. Mesmo sem conhecer o Fernando no Fórum Sons acho que hoje continuaria a gostar de música. Mas não desta maneira, não com esta intensidade. Tocaste as nossas vidas, Fernando Magalhães. Agora que partiste, a tua imensa colecção musical pertence-nos.

A Rosa dos Sons regressa na próxima Segunda-feira, dia 23 de Maio.